Blog

Perdidos no futurista MIT

13/07/13

* Por Cassia Oliveira

Olá, galera! Tudo certo?

Hoje tenho muitas coisas para dividir com vocês. Comecemos pela tão esperada visita ao MIT (Massachusetts Institute of Technology). Eu e Gustavo começamos o passeio de um jeito BEM apropriado: ficamos perdidos! São tantos os corredores, escadas e salas, que uma boa parte do nosso grupo (incluindo um dos staffs) simplesmente não conseguiu chegar sozinho à sala. Hahaha. Nada mal para a primeira visita, hein!? Depois de algum tempo subindo e descendo escadas, finalmente conseguimos chegar ao auditório onde assistimos a uma palestra muito esclarecedora a respeito da história da universidade, perfil dos alunos e, principalmente, sobre o processo de admissão. Vocês sabiam que cerca de 89% dos alunos do MIT recebem algum tipo de bolsa de estudos? Mais uma coisa: vocês sabiam que o MIT oferece cursos de graduação na área de Humanas? Acreditem, nossa guia estava cursando Filosofia lá!

Depois da palestra começamos um tour pelas principais áreas da universidade, como as várias bibliotecas, a academia e alguns dos edifícios nos quais os estudantes têm aula. O câmpus tem um ar futurista que combina muito bem com toda a tecnologia empregada nos edifícios para torná-los mais sustentáveis. A infraestrutura é simplesmente impressionante, e os alunos são encorajados a utilizar todos os recursos possíveis para tentar criar soluções inovadoras que melhorem a vida das pessoas.

Esse breve passeio me fez pensar muito na qualidade da educação no nosso País, principalmente no que diz respeito à infraestrutura oferecida aos alunos. Mesmo as melhores universidades brasileiras não chegam nem perto de oferecer os recursos e a infraestrutura acadêmica existentes nos EUA. Sem dúvida, muita coisa ainda precisa mudar no Brasil.

Depois da visita, retornamos a Yale e encararmos um cardápio bem americano no jantar, com direito a hambúrguer, batata frita, salsichas e muito refrigerante e ketchup. Parece delicioso, mas vocês não têm ideia do quanto um belo arroz e feijão bem brasileiros fazem falta depois de alguns dias.

No dia seguinte, tive uma das melhores aulas de Engenharia Sustentável. Finalmente terminamos nosso projeto e começamos os testes. Foi muito gratificante perceber que, após muitos dias de planejamento, de milhares de adaptações e de disparar o alarme de incêndio do edifício enquanto tentávamos encaixar uma torneira para retirar a água filtrada (não, isso não é brincadeira), nosso filtro de água funcionou!

Abaixo, fotos de outra aula de Engenharia Sustentável, na qual visitamos o Kroon Hall, o prédio mais ecologicamente sustentável de Yale (capta energia solar, coleta e filtra a água da chuva para que possa ser reutilizada nos banheiros, possui um sistema de refrigeração extremamente interessante que reduz muito o gasto de energia… enfim, tudo que havia de “verde” foi usado nele):

Além disso, tive a primeira aula no workshop sobre Controle de Estresse. Já começaram a aula com o primeiro teste: disseram que algo muito grave havia ocorrido no câmpus e simularam um interrogatório. Foi muuuuitoo tensooooo!!!! Hahaha. Ficamos todos muito aliviados quando descobrimos que não passava de uma brincadeira para testar nossa capacidade de manter a calma e trabalhar bem sob pressão.

Por enquanto é isso, pessoal. Espero que tenham gostado. Até mais :)

Newsletter

Cadastre-se para receber novidades sobre o Ismart.