Blog

Conhecendo Notre Dame

19/07/16

* Por Victória Luz

Victoria_Notre_Dame_Post_1_Foto (1)Olá, pessoal! Sou Victória Carolina Fernandes da Luz, curso o 2º ano do ensino médio no Colégio Uirapuru, em Sorocaba, e estou participando do iLED, programa de verão da Universidade de Notre Dame. Cheguei no sábado, dia 16 de julho

Ansiedade, cansaço e admiração são palavras que conseguem descrever quase tudo o que senti nos últimos dias. Viajar pela primeira vez a outro país e ainda mais sozinha foi uma experiência realmente desafiadora, cheia de aprendizagem e oportunidades para conhecer (e conversar com!) pessoas de diversas nacionalidades.

Aoi (Japão), Eu, Riju (Nepal) e Adrielli (Brasil)

Aoi (Japão), Eu, Riju (Nepal) e Adrielli (Brasil)

Finalmente, depois de quase 16 horas de viagem e uma conexão no México, cheguei ao aeroporto de Chicago extremamente cansada, mas também, “paradoxicalmente” (gosto de dizer essa palavra), muito animada para ver o que estava à minha espera.

Eu e os outros estudantes ficamos esperando os últimos alunos chegarem durante três horas. Assim, aproveitei para conversar com alguns alunos (me “entrosar” com o pessoal). Bom, se já havia gostado das diferentes nacionalidades em um aeroporto, gostei ainda mais da diversidade étnica e cultural, com a qual poderei conviver durante 15 dias aproximadamente, que encontrei no iLED!

Victoria_Notre_Dame_Post_1_Foto (6)

Neste ano, creio que não houve muita diferença dos anteriores, mas temos representantes da China, Panamá, Peru, Tunísia, Nepal, México, índia, Japão, Egito e Brasil, se não me esqueci de nenhum (os maiores grupos são da Índia, China e Brasil). Todos chegamos cansados, só consegui conhecer melhor a universidade no domingo.

Ginásio de basquete

Ginásio de basquete

Estádio de futebol americano

Estádio de futebol americano

O tour pela universidade foi surpreendente e encantador.

À tarde tivemos atividades para estimular o contato entre os estudantes e o espírito de equipe. Durante as atividades tivemos um bolo surpresa para dois alunos que farão aniversário durante o programa. Achei muito nobre e gentil por parte da universidade. Todos nos divertimos muito.

As aulas apenas começaram nesta terça-feira, dia 19, e ontem eu estava realmente ansiosa para conhecer os professores, as salas e finalmente ter aulas na universidade (principalmente as de Engenharia) como uma estudante daqui.

Fitzpatrick Hall of Engineering (em construção)

Fitzpatrick Hall of Engineering (em construção)

Prédio do meu ‘dorm’

Achei que demoraria a me acostumar com os dorms, mas realmente estou adorando tudo isso. Minha roommate é da China e estamos alojadas no “Pangborn Hall”. A cada segundo, tenho mais certeza e vontade quanto estudar no exterior (especialmente nos EUA).

Espero aproveitar o máximo que puder essa maravilhosa experiência para, além do conhecimento prático das aulas, melhorar minha proficiência no idioma e entender como é de fato a vida de um universitário (não generalizando) nas instituições americanas.

Também espero manter contatos em diferentes nações/continentes e quem sabe aprender algo com eles (não somente idiomas).

Isso é o que mais me admira na diversidade: a oportunidade de ver a realidade através de outro ponto de vista.

Newsletter

Cadastre-se para receber novidades sobre o Ismart.