Blog

Direto da fonte

21/08/16

* Por André Garcia de Oliveira

Tentei aproveitar o máximo possível a experiência em Yale. Conversei com as pessoas e tentei ser o mais legal com todas elas. Falei muito sobre o Brasil e quis também saber muito sobre os outros países.

Andre_Yale_Post_2_Foto (1)

Me inscrevi num evento chamado speaking series e, depois de uma audição, eu e mais 13 alunos fomos selecionados para falar a um público de 500 outros alunos. Falei sobre a pesquisa científica que fiz no ano passado, a respeito dos impactos das alterações ambientais na incidência da dengue na minha cidade, Embu das Artes.

Cantei “Garota de Ipanema” com outros brasileiros numa espécie de show de talentos, fiz uma entrevista no escritório de admissões e pesquisei, na fonte, tudo que pude.

Sentir saudade de Yale é inevitável. De jogar máfia nos meus tempos livres à noite, da minha “família”, de elogiarem o meu sotaque (por mais incrível que pareça). Sinto falta do amor que todos sentiam pelos brasileiros e pelo jeito que todos vinham pedir abraços… Sinto muita falta das pessoas e dos amigos e amigas que fiz, com os quais espero manter contato para a vida toda.

Foto de formatura

Foto de formatura

Participar do YYGS me deu uma degustação do que é ser um universitário nos EUA. E, mais do que isso, do que é ser um cidadão global. Agora estou mais decidido do que nunca a voltar para lá no ano que vem.

Andre_Yale_Post_2_Foto (3)

Que venham mais desafios, mais conquistas. Que Venha Yale mais uma vez!

Andre_Yale_Post_2_Foto (10)

Newsletter

Cadastre-se para receber novidades sobre o Ismart.