BLOG

Informativo para Educadores – Julho 2017

* Esta é a íntegra da newsletter do programa “Deixe sua Marca”, enviada por e-mail aos educadores interessados em acompanhar mais de perto o trabalho do Ismart.

***

Apresentação

Caro professor, encerramos a primeira etapa do nosso processo seletivo em São Paulo e no Rio de Janeiro e caminhamos agora para a fase da prova presencial. Nesta newsletter do programa “Deixe sua Marca”, vamos falar um pouco sobre como a avaliação é feita e corrigida e dar dicas práticas que ajudarão os alunos a se preparar melhor. Trazemos ainda novidades sobre o processo seletivo em Belo Horizonte e celebramos o sucesso de Larissa Fabião, aluna que acabou de voltar de um curso de verão na Universidade Stanford, uma das mais importantes do mundo. Boa leitura!

***

Tema do mês: Resultado do Teste Online

Divulgamos no início da tarde desta sexta-feira, 21, o resultado do teste online para os candidatos de São Paulo e do Rio de Janeiro. Nesta primeira fase do processo seletivo do Ismart, os alunos respondem a 10 questões de português e 10 de matemática, que abordam diferentes assuntos e têm graus diferentes de dificuldade. Elas avaliam não só o conhecimento dos estudantes em relação aos conteúdos das disciplinas, mas também suas competências e habilidades. Neste ano, a boa notícia é que, proporcionalmente, tivemos um número recorde de alunos que, após o cadastro, fizeram o teste online. Um resultado alcançado com a ajuda de vocês, professores. Se, em 2015, 20% dos candidatos inscritos não faziam o teste online, em 2016 esta proporção foi de 12% e, agora em 2017, de 7%. Isso significa que mais alunos decidiram testar seus conhecimentos e, assim, continuar na disputa por uma oportunidade no Ismart!

Veja a lista de aprovados para a prova presencial, que terá questões de português e matemática e um teste de potencial de aprendizagem

***

Você sabia?

As inscrições para o processo seletivo do Ismart em Belo Horizonte permanecem abertas até 6 de agosto. Como este é o primeiro ano em que selecionaremos alunos na capital mineira, decidimos dar mais tempo para os jovens talentosos de lá conhecerem os nossos projetos e efetuarem o cadastro e o teste online.

***

Dicas práticas

Bolsista do Ismart no Colégio Sidarta, em Cotia, Bruna Machado Gomes não esquece o dia em que pôs os pés pela primeira vez na escola, onde hoje cursa o 2º ano do ensino médio. “Achei tudo enorme. Tentei ir ao banheiro e me perdi no caminho. Reparei que havia computadores para todo mundo e que as carteiras eram novas e limpas. Só pensava que seria um sonho conseguir estudar ali.” Esta história aconteceu no dia da prova presencial do processo seletivo de 2015. “Depois de ver tudo a que poderia ter acesso no Ismart e no Sidarta, tive ainda mais vontade de mandar bem na avaliação e de estudar naquela escola”, diz a jovem de 16 anos, bolsista do Projeto Bolsa Talento. Para ajudar outros alunos talentosos a realizar o mesmo sonho, pedimos a Bruna algumas dicas de como o professor pode orientar quem vai passar pelo desafio da prova presencial em breve:

– Antes da prova, o candidato deve fazer exercícios de testes anteriores, disponíveis no site do Ismart. Se houver qualquer dúvida, o professor pode ajudar o aluno.

– O aluno deve pesquisar onde é o lugar da prova e quanto tempo se leva para chegar lá. No caso de Bruna, a professora  Sandra Borbalan, que a indicou para o processo seletivo, deu uma carona até o Colégio Sidarta.

– O aluno deve imprimir o comprovante de classificação e pegar a assinatura do responsável – e, claro, não esquecê-lo em casa.

– O aluno deve ser orientado a manter a calma e não preocupar se vai ser o primeiro ou o último a sair da sala. É importante que ele faça a prova no seu tempo.

***

Palavra do especialista

Tadeu da Ponte é professor de Estatística e diretor da empresa Primeira Escolha, responsável pela elaboração e correção das avaliações do Ismart. A seguir, ele explica como os testes são feitos, o que avaliam e como são corrigidos. Confira:

Quais critérios são levados em consideração para fazer as provas do Ismart?

No processo seletivo do Ismart, são realizadas avaliações de português, matemática e potencial de aprendizagem. As duas primeiras avaliam a proficiência dos candidatos em conhecimentos e habilidades dessas disciplinas, tipicamente desenvolvidos ao longo do ensino fundamental. Para os candidatos do Alicerce, os conteúdos requeridos consideram apenas os programas escolares até o 7º ano; já para o Bolsa Talento, consideram-se também os conteúdos do 8º ano. O teste de potencial de aprendizagem, que tem 60 questões e somente é aplicado no dia da prova presencial, corresponde a uma avaliação da inteligência dos candidatos usando apenas imagens. Na sua combinação, esses três testes fazem uma avaliação abrangente das aprendizagens e capacidades de aprendizagens dos candidatos.

As perguntas variam de candidato para candidato no teste online. Como garantir que o nível de dificuldade seja o mesmo para todos?

Os testes são padronizados, o que significa que seus resultados são gerados em escalas únicas de proficiência. Além disso, o modelo de avaliação que cada candidato realiza no teste online é balanceado em termos de nível de dificuldade, ou seja, todos respondem a uma mesma quantidade de questões fáceis, de dificuldade intermediária, e difíceis. Nessa metodologia de avaliação, os resultados dos candidatos são sempre comparáveis. A variabilidade dos itens no teste online visa a evitar fraudes nessa avaliação, conferindo mais segurança para os candidatos.

As provas do Ismart são elaboradas e corrigidas pelo método TRI. O que é esse método?

A TRI, ou Teoria de Resposta ao Item, corresponde aos modelos estatístico-computacionais que são utilizados para padronizar os resultados em escalas de proficiência. Assim como o Enem e outros testes internacionais, essa padronização possibilita uma aferição mais precisa dos resultados de cada candidato, além de garantir comparabilidade de resultados.

Como esse método valoriza habilidades e competências?

Os modelos utilizados pressupõem a avaliação de habilidades, o que se desenvolve e se mensura de maneira cumulativa nos candidatos. Evidentemente o domínio dos conteúdos das disciplinas é considerado, mas de maneira indireta, por meio das competências e habilidades.

Por que o método da TRI é o mais indicado para a elaboração e a correção das provas?

Porque se mensuram proficiências e, para isso, é necessário que sejam geradas escalas. A própria ideia de escala pressupõe um padrão, o que, com esses modelos, se constrói. Podemos imaginar como seria difícil saber a altura das pessoas se não existisse um sistema de medidas, ou seja, se não existissem o metro ou o centímetro. Isso já aconteceu na história da humanidade. As coisas eram medidas em palmos ou polegares (o que deu origem à polegada) e isso poderia servir nas lógicas em que era feito. Ainda hoje contamos passos para medir uma sala se não temos uma trena ou fita métrica disponível. Da mesma forma, contar os acertos de uma prova pode ser algo efetivo para avaliações do dia a dia das escolas, serve bem a esse propósito. Mas, para avaliar milhares de candidatos e compará-los de maneira justa, é necessário desenvolver um sistema de medidas mais preciso, o que se faz com a Teoria de Resposta ao Item.

***

#OrgulhoIsmart

Aluna do Ismart em São José dos Campos, Larissa Fabião da Fonseca retornou há pouco de um curso de verão na Universidade Stanford, que fica na região conhecida como Vale do Silício, nos Estados Unidos. Larissa, que cursa o 2º ano do ensino médio no Colégio Poliedro, estudou a Teoria da Relatividade na universidade americana, e agora já sonha em fazer a graduação por lá também. A jovem conta sua experiência internacional no blog “Ismart no Mundo”. Confira no link https://intercambioismart.wordpress.com.

O Ismart acredita no talento individual e no poder transformador da educação

Newsletter

Cadastre-se para receber novidades sobre o Ismart.

Professor Estudantes Interessado no Ismart