Blog

Como uma última opção pode se transformar na primeira opção

03/09/19

Por: João Pedro de Moraes

Meu nome é João Pedro de Moraes Galvão e eu fui um dos alunos que foram à Universidade de Notre Dame Du Lac, no estado de Indiana, com o propósito de fazer o curso iLED–international Leadership Enrichment and Development Program.

Neste texto, vim lhes trazer algumas das minhas primeiras impressões acerca da minha primeira viagem internacional e da minha primeira experiência em uma rotina universitária que, embora não tenha sido a minha primeira opção por eu dar inicialmente preferência à Harvard, mas sim a última, me trouxe aprendizados importantes sobre liderança, autonomia, perspectivas de vida e a brevidade dos momentos mais importantes e especiais, juntamente do impacto que teve em minha perspectiva de futuro, tornando-se a minha primeira opção.

Ao chegar no campus da universidade, a primeira coisa que me deparo é com a sua diversidade arquitetônica. Notre Dame possui um Campus aberto e arborizado, no qual grande parte de seu terreno e dedicado aos dormitórios para seus alunos, estes que são foram construídos em diferentes datas, tendo até mesmo diferença de décadas entre um dormitório e outro, contrastando os valores da arquitetura clássica com a praticidade da arquitetura moderna e compartilhando do mesmo espaço em uma simultaneidade de proximidade e distância. Um exemplo disso é o contraste gerado entre os Halls ao sul, próximo à Eddy Street, tendo um estilo mais moderno e pragmático em algumas construções, e os dormitórios ao norte, enquanto ostenta valores greco-romanos em sua escola de arquitetura. Porém, cada construção que visitei, independentemente de seus valores arquitetônicos, integrava a tecnologia da melhor forma possível de modo a não estagnar cada lugar em seus períodos e valores e também cumprir o propósito de cada uma, evitando laboratórios de engenharia com poucos computadores e bibliotecas que parecem um estúdio de design da microsoft.

Algo que me chamou muito a atenção foi o senso de comunidade que os estudantes e os moradores da cidade possuem em relação à Universidade, trazendo uma identidade própria. Nessa universidade, ninguém fica sozinho e isolado do mundo, pelo contrário, há a integração entre o aluno e a universidade por meio das comunidades criadas entre estudantes, além do fato do campus ser aberto, o que traz muitos habitantes da região todos os dias, seja para eventos, caminhadas, missas e até mesmo corriqueiros almoços.

Em cada dormitório há costumes e tradições que os marcam, como por exemplo a “república” Zahm, que durante toda terça-feira, antes de um jogo de futebol americano na universidade, pendura uma bandeira sobre sua fachada principal e também pelos dizeres “Notre Dame por escolha, Zahm pela graça de Deus”. De fato, um dos símbolos de Notre Dame é o irlandês briguento, ou “fighting irish“, que, além de ser mascote do famoso e consagrado time homônimo, é o ícone que mais representa a universidade como um todo, sendo sua imagem recorrente de modo direto através de representações artísticas do mascote e indireto, através da identidade irlandesa presente na região. Um dos aspectos que mais contribui com essa identidade é a presença de muitos Alumni que criam seus filhos sob uma cultura “Notre Dameana” e os trazem à Universidade durante as férias como forma de atividade externa, fazendo com que muitos sintam o desejo de fazer de fato parte dessa comunidade criada por um missionário francês e nomeada em sua língua, mas que a pronúncia em inglês e toma como símbolo um irlandês.

Entretanto, universidade não é apenas a comunidade nativa, como vemos em muitos filmes americanos, é também ensino, aprendizado e laços. As aulas que tive de liderança foram bastantes importantes não somente para instigar e melhorar essa habilidade em mim, mas também como um modo de botar em prática o inglês, através da construção de amizades, que, mesmo tendo uma enorme chance de nunca serem revitalizadas pelo fato do programa durar apenas curtas 2 semanas, nos ajudam a melhorar nossos próprios aspectos e a trocarmos pontos de vista diferentes sobre um mesmo assunto. Não sei como posso vos contar, mas cada dia é um dia de descobertas, cada aula é um balde de água em nossas mentes quando pensamos em nossas futuras opções de carreira. Cada conversa com um dos alunos internacionais é uma troca de pontos de vista e de cultura, e a estrutura universitária induz a isso. Por meio de salas de aula feitas para a integração e união de alunos, não separando os alunos por cadeiras individuais e nem por grupos, e de aulas que buscam a discussão de temas pertinentes e a cooperação entre os estudantes, a educação de Notre Dame se faz dessa maneira e nos instiga a buscarmos o conhecimento, seja pela estrutura que traz conforto e uma certa atratividade para adentrarmos e explorarmos, quer por meio da constante necessidade de estudar para prosseguir com os assuntos discutidos em aula. No final, o que nos faz sermos nós mesmos e a nossa mudança como indivíduos em todos os âmbitos. Devo admitir, os investimentos que os Alumni e suas famílias fazem pela universidade realmente valem a pena, além de ser inteligente das duas partes, Universidade e Alumni, da conciliação entre os valores da Igreja Católica Apostólica Romana, com a praticidade na forma de ambientes que integram as novas tecnologias com o aprendizado e a liderança, realmente é algo a se pontuar.

Enfim, considero todos esses aspectos como importantes para a minha formação como indivíduo e por conta disso os levei em conta para meus futuros planos. Percebi através dessa viagem que estudar fora, e especialmente em Notre Dame, é algo que realmente desejo e para onde meus esforços irão. Realmente, este ano e ano que vem prometem bastante oportunidades, tendo o processo seletivo para o colégio preparatório Philips Academy(ou Andover) e para as mais diversas universidades, sendo Notre Dame a minha primeira opção, com o foco em Business e Economia por, creio eu, serem cursos que me darão a possibilidade de arriscar e buscar minha própria independência financeira. Isso de fato é algo que desejo de coração e tenho certeza que a minha experiência em Notre Dame me ajudará muito para que eu consiga.

Newsletter

Cadastre-se para receber novidades sobre o Ismart.